Duas crianças e professora não resistem e sobe para oito os mortos em ataque a creche em Janaúba

O Corpo de Bombeiros confirmou mais três mortes por causa do ataque à creche em Janaúba, no Norte de Minas, na manhã desta quinta (5). As vítimas são R.N., de 4 anos, que estava com 90% do corpo queimado; C.D., também de 4 anos, que tinha queimaduras em 80% do corpo, além da professora Heley Abreu Batista, de 43 anos, que chegou a ser dada como morta mais cedo, quando teve duas paradas cardiorespiratórias e precisou ser reanimada.

As duas crianças de 4 anos estavam vindo para o Hospital João XIII, que é referência em queimaduras no Estado, mas não resistiram à viagem e acabaram falecendo ainda dentro da aeronave.

Já a professora estava internada no Hospital Regional de Janaúba, com 90% do corpo queimado, e teve a morte confirmada pela direção no fim da noite. Heley foi uma das pessoas que mais ajudou no salvamento das crianças, conforme informaram os bombeiros. Mesmo queimando, ela teria conseguido retirar diversas crianças do local do incêndio.

No perfil dela do Facebook, as postagens revelam uma pessoa religiosa. São várias as publicações com mensagens de força, fé e coragem: “Enquanto Deus for meu chão, não há quem me derrube”; “A minha fé me conduz”; “Pela fé tereis vitória”, são algumas das publicações.

Outras quatro crianças, também de 4 anos, e o autor, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, já haviam morrido. Ao todo agora, são oito mortos – seis crianças e dois adultos -, e 23 feridos, totalizando 31 vítimas.

BH

No início da noite desta quinta, quatro crianças foram transferidas de Janaúba para o Hospital XIII, que se preparou para receber até 16 vítimas.

Segundo o diretor técnico e gerente assistencial do HPS, Marcelo Lopes Ribeiro, os pacientes menos graves do HPS foram remanejados no próprio hospital e as crianças transferidas para o CGP, antigo Hospital João Paulo II.

Dessa forma, os leitos da terapia intensiva foram liberados para receber as vítimas da tragédia.

Compartilhar