Trabalho da equipe de Endemias continua a todo vapor no combate a dengue em Mantena. Vamos ajudar!

PARA DENÚNCIA E INFORMAÇÕES LIGUE (33)988289714

A secretaria municipal de Saúde, através do setor de Endemias e de epidemiologia, está dando continuidade com muito afinco às ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e chikunguyna em Mantena.

Está sendo realizado um trabalho de limpeza, e também em alguns lugares específicos a aplicação de inseticida e controle mecânico, uma vez que já existe casas notificadas no município. Essa ação de bloqueio tem como objetivo diminuir a população adulta de mosquitos na área provável de transmissão, após a notificação de caso suspeito à Secretaria Municipal de Saúde.

A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE MECÂNICO E DA LIMPEZA DO QUINTAL

De acordo com o coordenador de endemias, Marcelo Magno, a equipe está trabalhando todos os dias e uma das medidas mais eficazes para combater o mosquito é o controle mecânico, que consiste na remoção de água parada em pneus velhos, vidros, latas e outros objetos que possam servir como criadouro do mosquito. A recomendação, nesse sentido, é que os moradores, no mínimo mantenham os seus quintais limpos.

Nossa equipe tem encontrado muito lixo jogado nos quintais e é preciso uma cooperação dos moradores das casas para ajudar. Temos também tampado com telas as caixas d’águas, visitando e instruindo as pessoas, colhendo lixos nas beiradas nas estradas e ainda uma ação para a visitação a noite pela equipe àquelas casas que ficam fechadas durante o dia. Temos enviado as notificações ao setor de fiscalização na questão dos lotes cheio de matos e lixos para notificarem os donos.

“O trabalho de combate à dengue é feito durante o ano todo e precisa da colaboração de todos os moradores. A única forma de parar a transmissão da doença é eliminar o mosquito transmissor e os criadouros, por isso a ação conjunta com a população é  fundamental. É importante ter alguém em casa responsável por monitorar e retirar os possíveis criadouros”, alerta Marcelo.

“Agora é a hora da população ficar atenta e cumprir sua parte, vez que a guerra contra essas doenças não pode ficar concentrada tão somente no poder público. Estamos fazendo nossa parte, e somente com união podemos vencer essa batalha”, disse Ocimar Rufino, que tem disponibilizado através da secretaria de Saúde, exames para diagnosticar os casos de dengue.

De acordo com a coordenadora de Epidemiologia, Renata, os exames, o hemograma que é feito no mesmo dia e a sorologia, são encaminhados ao laboratório da FUNED em Teófilo Otoni que é do Estado, sob determinação do Ministério da Saúde.

Todos os casos suspeitos são tratados, onde essa sorologia é para confirmar ou descartar esses casos que antes eram só suspeitas.
Renata alerta ainda que a ida ao PSF ou ao pronto atendimento é importantíssimo, pois os profissionais irão notificar o caso e encaminhar para o setor de Epidemiologia o mais rápido, onde a equipe de endemias irá fazer o trabalho de controle do vetor com bloqueio para não deixar que outras pessoas fiquem doentes.
Uma vez que esses pacientes não são notificados ou procuram outro município os mais prejudicados somos nós porque não vamos conseguir impedir que mais pessoas fiquem doentes.

Boletim epidemiológico de monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Nº 139, Semana Epidemiológica 23 Data da atualização: 03/06/2019

Municípios de 25.001 a 70.000 habitantes com incidência de casos prováveis de dengue acima de 300 casos/ 100.000 hab. nas quatro últimas semanas epidemiológicas de sintomas, MG.
URS                Município     Casos Prováveis   População*       Incidência

Governador Valadares    Mantena                 111            27640              401,59

 

DENGUE EM MINAS GERAIS

A Secretaria de Estado de Saúde divulgou, até o momento (dados atualizados em 03/06), o último boletim de casos de dengue, chikungunya e zika em Minas Gerais. Até agora, o estado já registra 372.153 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue.

São 67 mortes confirmadas em todo o estado, nos municípios de Arcos (1), Belo Horizonte (11), Betim (11), Contagem (2), Curvelo (1), Frutal (2), Ibirité (1), João Monlevade (1), João Pinheiro (4), Juiz de Fora (2), Lagoa da Prata (1), Martinho Campos (1), Monte Carmelo (1), Paracatu (1), Passos (2), Patos de Minas (1), Rio Paranaíba (1), Sacramento (1), São Gonçalo do Pará (1), São Gotardo (1), Uberaba (2), Uberlândia (14) e Unaí (2), Vazante (2). São 115 óbitos em investigação para dengue. Vale ressaltar que os óbitos em questão foram notificados ao longo de 2019 e não são, necessariamente, óbitos recentes.

Em uma semana, foram 51.563 novos casos prováveis da doença e 16 novas mortes. A cidade com mais óbitos é Uberlândia, com 14 casos, seguida por Betim, com 11, e Belo Horizonte, com nove. Ainda são investigados 113 mortes. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, estes casos foram notificadas ao longo de 2019 e não são, necessariamente, recentes.